domingo, 20 de maio de 2012

Bayern de Munique 1 (3) X 1 (4) Chelsea

Ontem, na Alemanha, no Estádio Alianz Arena, aconteceu o jogo (cujo europeus disseram ser o jogo do ano) final da Liga dos Campeões (conhecida também como Champions League). Bayern de Munique e Chelsea tiraram os favoritos da Liga (Barcelona e Real Madrid) e prometiam Mostrar a arte de jogar bola.

O Bayern de Munique era dito como o favorito, pois estava jogando no seu estádio, com a sua torcida o apoiando e vaiando o Chelsea, o time adversário. Nas oitavas de final, quando ultrapassou o Basel, o time alemão mostrou seu potencial, ganhando nas quartas de final contra o Olimpique de Marselle e ganhado nas semi-finais contra o Real Madrid, nos pênaltis.

O Chelsea veio à Liga como um time importante, mas seria o coadjuvante de Barcelona e Real Madrid, assim como o Bayern de Munique. O time, no começo, levou uma goleada do Napoli, mas, no 2° jogo, devolveu outra, só que ainda maior. Nas quartas de final, o time inglês derrotou facilmente o Benfica de Portugal nos dois jogos. Nas semi-finais, estava tudo certo do Chelsea levar uma bela surra do Barcelona nos dois jogos, mas não foi isso que aconteceu. No 1° jogo, no Stamford Bridge, estádio dos ingleses, o Chelsea o derrotou por 1 a 0. No 2° jogo, no estádio do Barcelona, o Camp Nou, o jogo saiu empatado de 2 a 2, e o time da Inglaterra se classificou para a final.

No 1º tempo do jogo, o time alemão dominou a partida, chutando com perigo muitas vezes. Uma dessas tentativas veio com o craque holandês Hobben, que fez uma jogada perfeita e chutou para o gol. O goleiro do Chelsea, Piter Cech, defendeu. A bola foi pra fora.

O Bayern era ''o poderoso chefão'' do Chelsea e o time inglês era ''o escravo'' do time de Munique. O Chelsea ficava todinho atrás, esperando a iniciativa de ataque do Bayern para tirsr o perigo. O time azul do técnico Di Mateu não veio ofensivo, e sim defensivo.

Logo o 2º tempo acabou, e as equipes foram para o vestiário. O time alemão e o time inglês voltaram com a mesma escalação do período anterior. O jogo passou, e o Chelsea ficou mais agressivo e partiu para o ataque. O jogo ficava bom e, ao mesmo tempo, entediado (ou seja, naquele momento, o jogo, além de ser bom, também causava tédio, chatice). Mas, aos 38 minutos, o Bayern de Munique partiu para o ataque e fez seu 1º gol: Tony Kroos cruzou na área, e, quase livre, Thomas Müller marcou o primeiro gol do jogo. Bayern de Munique 1, Chelsea 0. 

Mas logo a festa alemã acabou. Aos 43 minutos do segundo tempo, o Chelsea fez seu primeiro gol: escanteio para os Blues (apelido dado ao time inglês). O marfinense Drogba fez de cabeça para o time da Inglaterra. 1 a 1. Empate.

Com esse empate, o jogo foi para a prorrogação. Os times já estavam cansados, mas queriam marcar um gol. Aos 5 minutos do 1º tempo extra, o Bayern de Munique teve uma chance incrível de marcar e desperdiçou. O jogador francês do time alemão Ribéry caiu com uma solada de Drogba. O juiz marcou pênalti. O craque da Holanda Robben cobrou o pênalti e Piter Cech defendeu. Minutos depois, a prorrogação acabou.

Nos pênaltis, o Chelsea ganhou o título inédito da Liga dos Campeões e os capitões levantaram a taça assim:


Tchau, amigos! Até a próxima crônica!

PARABÉNS, CHELSEA!

3 comentários:

Jailson Ferreira disse...

Caro Gabriel, gostei muito de seu blog. Deus te abençoe no seu projeto! Pai, Mãe... continuem
incentivando esse projeto, vcs estão de Parabéns!! *Vou deixar um link no meu blog, para sempre vir visitar.

Segundo Freitas disse...

Obrigado pela força ao nosso filho.
Valeu...

Gabriel Victor disse...

Nossa! Muito o brigado, Jaílson Ferreira!