quinta-feira, 15 de outubro de 2015

E se... O voto deixasse de ser obrigatório?

Eu poderia falar sobre o Dia dos Professores nesta crônica, mas vou fazer algo diferente, sobre outro assunto. Ah, e aqui vão os meus sinceros parabéns àqueles que exercem essa grande, importante, digna e tão desvalorizada profissão. A vida dos estudantes não seria a mesma sem vocês. Voltando ao assunto da crônica... Hoje vou debater um assunto meio que polêmico: E se o voto deixasse de ser obrigatório? Olha que não vai ser nada fácil fazer um texto desse tipo, mas vou tentar e ver no que dá. Vamos pro próximo parágrafo e começar isso logo de uma vez.

O Brasil passa por uma fase crítica. Tanto social, quanto econômica... Cultural talvez... E por aí vai. Só sabemos que ela não para de crescer. Os políticos que o povo brasileiro elege nunca correspondem e sempre deixam rastros de suas atitudes sujas enquanto estão no mandato. E se, de repente, nós não fôssemos mais obrigados a votar?

Acho que isso teria muitos prós ao invés de contras. Quem tivesse ainda uma escolha e quisesse votar de verdade iria às urnas; e quem não quisesse ir, não precisava ir. É óbvio que, pra quem não quer votar em nenhum político, é só depositar seus votos nos brancos e nulos. Mas, de qualquer maneira, a perda de tempo que fazemos no dia da eleição é desnecessária para alguns. 

É óbvio que essa pode ser apenas uma ideia inútil vindo de mim, mas não deixa de ser uma (que por sinal já foi pensada por alguém). Essa crônica teve um intuito de levar todos a uma reflexão.

Até a próxima! 

3 comentários:

ALiCE disse...

oi Gabriel, cheguei aqui pelo google pesquisando sobre um livro q meu filhos esta lendo agora, "um país chamado infância.",que vc leu em 2012. Agora vc já está com 15 anos?? essa fotinho está desatualizada então. rs.
abraços.
sammya.

Carla Martins disse...

Sobre a reflexão.
Também já pensei que seria legal o voto facultativo. Sem dúvida nenhuma, que isso beneficiaria algumas pessoas que infelizmente, não gostam de política.
Mas de acordo com a atual situação política do país, onde não temos uma mídia regularizada, como os países desenvolvidos, e mídia regularizada no sentido de que cada emissora, rádio, jornal e revista priorize por noticias regionais e que seja realmente apartidário como descrito na Constituição.
Atualmente, a mídia brasileira ela só expõe informações do seu interesse, com o intuito de manipular as pessoas. Não sei se você já ouviu a expressão "PIG" (Partido da Imprensa Golpista), que nada mais é que o monopólio da mídia que manipulam os cidadãos para defender interesse político de uma minoria (grandes empresários).
Então, sabe-se que grande parte dos brasileiros não gostam de política, e se o voto se tornar facultativo, só irão para as urnas aqueles cidadãos que serão "beneficiados" pela eleição de algum candidato.
Se isso acontecer, o risco do país voltar a se subordinar aos poderosos empresários com interesses particulares é muito grande. Voltaríamos a era do Brasil colônia, onde tínhamos todas nossas riquezas indo para Portugal.

Carla Martins disse...

PS: Para sua idade, você escreve muito bem e tem um raciocínio muito legal. Sou monitora de alunos em uma escola pública, e é difícil encontrar pessoas da sua idade com clareza nas ideias. Parabéns!